NOS SERTÕES DOS OITOCENTOS: escravidão, liberdade e criminalidade nos sertões da província do Ceará (1830-1888)

Autores

  • ANDERSON COELHO DA ROCHA Universidade Federal do Ceará - UFC

DOI:

https://doi.org/10.18817/ot.v18i31.829

Palavras-chave:

Sertões do Ceará, Escravidão e liberdade, Violência e criminalidade

Resumo

Resumo: Durante o século XIX, na província do Ceará, localizada na atual Região Nordeste do Brasil, boa parte da população pobre e de cor, seja livre ou escravizada, era classificada por governantes e outros membros das minorias brancas como “gente da pior espécie”, propensos ao crime por conta de sua origem racial e o espaço em que viviam. Tais discursos acabaram por construir a imagem dos sertões e dos sertanejos da província cearense como uma terra sem lei e como indivíduos que conheciam apenas a violência como recurso de sobrevivência. De tal modo, o objetivo do presente artigo é analisar as relações sociais estabelecidas nos sertões do Ceará durante o século XIX, compreender como tais foram construídas entre homens livres e escravos em meio a associações conflituosas, mas também eram marcadas por solidariedades e afetos.

Palavras-chave: Sertões do Ceará. Escravidão e liberdade. Violência e criminalidade.

 

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

ANDERSON COELHO DA ROCHA, Universidade Federal do Ceará - UFC

Doutorando em História Social / Universidade Federal do Ceará
Fortaleza, Ceará, Brasil.

Downloads

Publicado

2021-02-18