"PROGRAMA DE BRAÇOS ABERTOS" E AS POLÍTICAS DE DROGAS NA SOCIEDADE DE CONTROLE: um diálogo histórico-antropológico

Autores

  • BEATRIZ BRANDÃO IFCS
  • JONATAS CARVALHO UERJ

DOI:

https://doi.org/10.18817/ot.v14i24.606

Palavras-chave:

Polá­tica de Drogas. Programas Pastores. Redução de Danos. Comunidades Terapêuticas. Cracolá¢ndia. De Braços Abertos.

Resumo

Resumo: O presente artigo tem por objetivo compreender alguns caminhos percorridos no contexto da política  de  drogas  dentro  de  uma  sociedade  do  controle,  apresentando  e  problematizando  esses  dois conceitos.  Para  tal,  foi  analisado  um  programa  político  que  foge  das  correntes  definições  e  práticas encontradas  até  então:  o  Programa  de  Braços  Abertos  (DBA)  implementado  na  gestão  de  Fernando Haddad,  entre  os  anos  de  2014  e  2016,  na  região  da  Cracolândia,  em  São  Paulo.  A  região  é reconhecida pelas intervenções políticas com a prática higienista e compulsória, que vão de encontro às liberdades individuais. A fim de  compreender a nova  visão e ação trazida  pelo DBA frente a  uma repetição  histórica  de  gerências  e  operações,  houve  uma  reflexão  sobre  a  biopolítica,  a  atuação  dos programas pastores e o lugar do DBA dentro do conjunto de tecnologias do dispositivo droga. Nesse tocante, outro objetivo desenvolvido foi situar as novas ordenações dos modelos de tratamento, como a Redução de Danos e as Comunidades Terapêuticas.

Palavras-chave: Política   de   Drogas.   Programas   Pastores.   Redução  de   Danos.   Comunidades Terapêuticas. Cracolândia. De Braços Abertos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

BEATRIZ BRANDÃO, IFCS

Doutora em ciências sociais pela PUC Rio. Professora do IFCS UFRJ.

Rio de Janeiro, RJ, Brasil.  

JONATAS CARVALHO, UERJ

Mestre em História (UERJ/PPGH).

Petrópolis, RJ, Brasil.

Downloads

Publicado

2017-12-21