DA ÁGORA AO PANTHEON: intelectuais de “Atenas” e a literatura romântica no Maranhão

Autores

  • Rafael Serra de Resende

DOI:

https://doi.org/10.18817/ot.v4i4.413

Palavras-chave:

Literatura romá¢ntica, Grupo Maranhense, Historiografia, Atenas Brasileira.

Resumo

Com um caráter de destaque literário, as construções simbólicas colocaram-se como ícones da identidade dos maranhenses, como sinônimo de superioridade cultural, como uma distinção no campo das letras. A literatura romântica do Grupo Maranhense foi o mecanismo legitimador das criações poéticas sobre a grandeza do Maranhão, tendo destaque as personalidades de Gonçalves Dias, Odorico Mendes, João Lisboa e Sotero dos Reis. Os postulados da Crítica literária e da Sociologia mostraram um conceito específico ao modo de percepção dos letrados, isto é, só fazia sentido para os indivíduos que detinham os mecanismos necessários para decodificar este conceito enquanto um bem cultural de natureza simbólica. O conjunto da população maranhense não estava inserido nesta forma de pensar sobre a Província do Maranhão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Serra de Resende

Graduado em História pela Universidade  Estadual do Maranhão

Downloads

Publicado

2007-01-10

Como Citar

Resende, R. S. de. (2007). DA ÁGORA AO PANTHEON: intelectuais de “Atenas” e a literatura romântica no Maranhão. Outros Tempos: Pesquisa Em Foco - História, 4(4). https://doi.org/10.18817/ot.v4i4.413