PODER CENTRAL E PODERES LOCAIS: embates entre a governança e as instituições coloniais do Rio de Janeiro no setecentos

Autores

  • Valter Lenine Fernandes Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO
  • Victor Hugo Abril Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO

DOI:

https://doi.org/10.18817/ot.v6i7.188

Palavras-chave:

Império Português, Instituições Coloniais, Poderes Locais.

Resumo

Este artigo se propõe a analisar as provisões dos ofícios da administração da Alfândega dacidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, no setecentos. Nesse sentido, investiga o jogo depoder que fazia parte da dinâmica da Alfândega e do complexo império português. Ainda,discute as licitudes e as ilicitudes do juiz e ouvidor da Alfândega Manoel Corrêa Vasques. Porfim, analisa os conflitos de jurisdições das instituições do império Português. O Senado daCâmara e o governo da cidade do Rio de Janeiro permitem compor a dinâmica deste impérioatlântico português e perceber os conflitos, expostos em pareceres e correspondências.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-07-15