REPRESENTAÇÕES DE VIOLÊNCIA E RELAÇÕES DE GÊNERO NO MEMORIAL DE MARIA MOURA

Autores

  • Tânia Regina Zimmermann UEMS

DOI:

https://doi.org/10.18817/ot.v7i9.132

Palavras-chave:

violência, literatura, relações de gênero,

Resumo

Neste artigo pretende-se analisar as situações de violência nas quais se tem por protagonista uma mulher. Para tal  propósito optou-se por um romance de Rachel de Queiroz, a saber, o Memorial de Maria Moura o qual alcançou como minissérie as telas da televisão. Na análise foram primordiais as categorias gênero e violência  de gênero para entender a construção dos estatutos e poderes de gênero.  Também se analisa no romance como as configurações sexuais binárias podem impor modelos dados de existência corporal incluindo a masculinidade associada à força e a defesa da honra através da violência e a feminilidade ligada à maternidade, bondade, resignação, submissão e passividade. Destarte as ações da personagem Maria Moura abrem fissuras nas quais existem possibilidades de emergir um gênero intercambiável.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-05-31