SOCIEDADE VEGETARIANA BRASILEIRA: tópicos sobre eugenia, moral e higiene por meio da trajetória de Francisco Jaguaribe (1917-1923)

Autores

  • MARIA GABRIELA BERNARDINO Casa de Oswaldo Cruz (FIOCRUZ/RJ) https://orcid.org/0000-0002-3599-8902
  • LEONARDO DALLACQUA DE CARVALHO Universidade Estadual do Maranhão (UEMA)

DOI:

https://doi.org/10.18817/ot.v21i37.981

Palavras-chave:

Eugenia. , Francisco Jaguaribe. , Sociedade Vegetariana Brasileira.

Resumo

A pesquisa apresenta a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) durante a segunda década do século XX. Dois pontos, em especial, são privilegiados na análise das fontes: o primeiro é relativo ao envolvimento do cartógrafo Francisco Jaguaribe de Mattos na sociedade. O segundo versa como os discursos de higiene e antialcoolismo estiverem presentes nas preocupações da SVB em vista de um ideal de moralidade e nação. O desdobramento dessa última discussão nos levou ao encontro das propostas eugenistas abordadas nos textos da SVB. Assim, buscamos responder qual era o teor e a finalidade desse discurso eugênico para as suas propostas em torno do vegetarianismo. O resultado da pesquisa aponta a maneira como Jaguaribe e a SVB articularam uma proposta de reformismo nacional apoiada na eugenia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

MARIA GABRIELA BERNARDINO, Casa de Oswaldo Cruz (FIOCRUZ/RJ)

Doutora em História das Ciências e da Saúde – Casa de Oswaldo Cruz (FIOCRUZ/RJ)

Museu de Astronomia e Ciências Afins/Programa de Capacitação Institucional-CNPq

Rio de Janeiro/Rio de Janeiro/Brasil

 

LEONARDO DALLACQUA DE CARVALHO, Universidade Estadual do Maranhão (UEMA)

Doutor em História das Ciências e da Saúde na Casa de Oswaldo Cruz (FIOCRUZ/RJ)

Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) .

São Luís/Maranhão/Brasil

 

Referências

Documentos

a) Periódicos

A Noite, Rio de Janeiro, ano 7, n. 1.798, 19 dez. 1916.

A Noite, Rio de Janeiro, ano 10, n. 3.060, 18 jun. 1920.

A Noite, Rio de Janeiro, ano 11, n. 3.526, 1 out. 1921.

Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, ano 31, n. 22, 22 jan. 1921.

O Bem, Rio de Janeiro, ano 1, n. 2, dez. 1924. Fundação Biblioteca Nacional.

O Imparcial, Rio de Janeiro, ano 10, n. 1.509, 7 jun. 1920.

O Jornal, Rio de Janeiro, ano 3, n. 795, 26 ago. 1921.

O Jornal, Rio de Janeiro, ano 6, n. 998, 20 abr. 1922.

O Paiz, Rio de Janeiro, ano 33, n. 11.747, 5 dez. 1916.

O Paiz, Rio de Janeiro, ano 34, n. 12.352, 5 ago. 1918.

RIO Grande do Sul. O PAIZ, Rio de Janeiro, ano 29, n. 10.627, 11 nov. 1913.

SOCIEDADE Vegetariana Brasileira. O PAIZ, Rio de Janeiro, ano 33, n. 11.790, 5 dez. 1917.

b) Manuscritos

SOUSA, Amílcar de. Carta a Domingos Nogueira Jaguaribe Filho. Porto, 16 dez. 1913. Manuscritos – Fundação Biblioteca Nacional.

SOUSA, Amílcar de. Carta a Domingos Nogueira Jaguaribe Filho. Portugal, 11 fev. 1914. Manuscritos – Fundação Biblioteca Nacional

Bibliografia

AS BASES da moral. Estante Virtual, 2010. Disponível em: https://www.estantevirtual.com.br/ideiasepalavras/dr-domingos-jose-nogueira-jaguaribe-filho-as-bases-da-moral-40706121?show_suggestion=0 Acesso em: 24 nov. 2019.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade e ambivalência. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1999.

BERNARDINO, Maria Gabriela. Notas sobre a trajetória do cartógrafo Francisco Jaguaribe de Mattos (1910-1952). Terra Brasilis [Online], n. 9, p. 1-6, 2017. DOI: https://doi.org/10.4000/terrabrasilis.2458. Disponível em: http://journals.openedition.org/terrabrasilis/2458. Acesso em: 3 fev. 2023.

BRAGA, Isabel Drumond. Em busca do novo Éden no século XX: os portugueses e a fundação de colónias naturistas no Brasil. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 25, n. 3, p.659-678, jul./set. 2018.

CARVALHO, Leonardo Dallacqua de; SOUZA, Breno Sabino Leite de. Ciência e hereditariedade na história de um assassino em série: em busca do gene perdido de Febronio. Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 8, n. 18, p. 385 – 410, 2016.

CARVALHO, Leonardo Dallacqua de; SOUZA, Vanderlei Sebastião de. Continuidades e rupturas na história da eugenia: uma análise a partir das publicações de Renato Kehl no Pós-Segunda Guerra Mundial. Perspectiva, v. 35, n. 3, p. 887-910, 2017.

CARVALHO, Leonardo Dallacqua. O saneador do Brasil: saúde pública, política e integralismo na trajetória de Belisário Penna (1868-1939). 2019. Tese (Doutorado em História das Ciências e da Saúde) - FIOCRUZ, Rio de Janeiro, 2019.

DOMINGOS José Jaguaribe Filho. Geni, 2014. Disponível em: https://www.geni.com/people/Domingos-Jos%C3%A9-Nogueira-Jaguaribe-Filho/6000000016104033727 Acesso em: 24 nov. 2019.

HOCHMAN, Gilberto; LIMA, Nísia Trindade; CHOR MAIO, Marcos. The path of eugenics in Brazil: dilemmas of miscegenation. In: BASHFORD, Alison; LEVINE, Philippa (ed.). The Oxford handbook of the history of eugenics. Oxford: Oxford University Press, p. 493-510, 2010.

KEHL, Renato. Alimentos. Revista Hygiene Popular, 1923?. Fundo Renato Kehl – Casa de Oswaldo Cruz/COC.

KEHL, Renato. Aparas médicas: a ciência da alimentação, uma nova campanha, alimentação correta. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 25 abr. 1930. Fundo Renato Kehl – Casa de Oswaldo Cruz/COC.

LEVI, Giovanni. Usos da biografia. In: FERREIRA, Marieta M.; AMADO, Janaína

(org.). Usos e abusos da história oral. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

LIMA, Nísia Trindade; HOCHMAN, Gilberto. Condenado pela raça, absolvido pela medicina: o Brasil descoberto pelo movimento sanitarista na Primeira República. In: MAIO, Marcos Chor; SANTOS, Ricardo Ventura (org.). Raça, ciência e sociedade. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ: CCBB, 1996.

NOGUERA, Carlos Ernesto. Luta antialcoólica e higiene social na Colômbia, 1886-1948. In: HOCHMAN, Gilberto; ARMUS, Diego (org.). Cuidar, controlar e curar: ensaios históricos sobre saúde e doença na América Latina e Caribe. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2004.

OLIVEIRA, Lúcia Lippi. A questão nacional na Primeira República. São Paulo: Brasiliense; Brasília: CNPq, 1990.

OSTOS, Natascha Stefania Carvalho de. Carnivorismo é uma civilização: vegetarianismo brasileiro e discursos sobre os animais, 1902-1940. História, Ciências, Saúde-Manguinhos., v. 28, supl. 1, p. 37-57, 2021.

PENNA, Belisário. O demônio da humanidade. Rio de Janeiro: Casa Publicadora Baptista, 1922.

PEREIRA, Andreia Marques. Um estranho caso de amnésia colectiva: o Portugal vegetariano de há cem anos. Público, 21 nov. 2019. Disponível em: https://www.publico.pt/2019/11/21/fugas/noticia/estranho-caso-amnesia-colectiva-portugal-vegetariano-ha-cem-anos-1894440 . Acesso em: 21 nov. 2019.

REIS, José Roberto Franco. Higiene Mental e eugenia: o projeto de “regeneração nacional” da Liga Brasileira de Higiene Mental. 1994. Dissertação (Mestrado em História)– Universidade de Campinas, Campinas-SP, 1994.

SANTOS, Fernando Sergio Dumas dos; VERANI, Ana Carolina. Alcoolismo e medicina psiquiátrica no Brasil no início do século XX. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 17, supl. 2, p. 401-420, dez. 2010.

SOUZA, Vanderlei Sebastião de. A política biológica como projeto: a “Eugenia Negativa” e a construção da nacionalidade na trajetória de Renato Kehl (1917-1932). 2006. Dissertação (Mestrado em História das Ciências e da Saúde) - FIOCRUZ, Rio de Janeiro, 2006.

VIANNA, Paula Vilhena Carnevale; ZANETTI, Valéria; PAPALLI, Maria Aparecida. Geografia, saúde e desenvolvimento urbano no interior paulista na passagem para o século XX: Domingos Jaguaribe e a construção da Estância Climática de Campos do Jordão. Hist. cienc. Saúde -Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 21, n. 4, p. 1341-1360, 2014.

Downloads

Publicado

2024-01-31

Como Citar

BERNARDINO, M. G., & CARVALHO, L. D. D. (2024). SOCIEDADE VEGETARIANA BRASILEIRA: tópicos sobre eugenia, moral e higiene por meio da trajetória de Francisco Jaguaribe (1917-1923). Outros Tempos: Pesquisa Em Foco - História, 21(37), 10–32. https://doi.org/10.18817/ot.v21i37.981