EXILADOS DO SERTÃO: migração cearense na seca de 1877

Autores

  • JANILLE CAMPOS MAIA Fundação Oswaldo Cruz - FIOCRUZ

DOI:

https://doi.org/10.18817/ot.v18i31.830

Palavras-chave:

Seca, Sertão, Ceará

Resumo

Resumo: O cerne deste artigo é compreender a dinâmica migratória ocorrida durante a seca de 1877 no interior da província do Ceará. Para tanto, serão utilizadas fontes oficiais como relatórios de presidente da província, além de informações compiladas em publicações semanais no jornal local O cearense. Entendendo que o contexto social antes e depois de uma seca são reveladores, pretende-se considerar toda uma conjuntura histórica, e não analisar somente o desastre natural como fator isolado. A partir da utilização de um referencial teórico da História Ambiental e dos estudos sobre migração e espaço, busca-se perceber de que forma este fluxo migratório está relacionado aos desastres naturais que enfrentavam estes cearenses. Torna-se fundamental, portanto, analisar a tentativa de direcionamento dessas migrações, uma vez que as indicações do Governo Provincial guiavam o deslocamento desses retirantes para a capital cearense.

Palavras-chave: Seca. Sertão. Ceará.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

JANILLE CAMPOS MAIA, Fundação Oswaldo Cruz - FIOCRUZ

Doutoranda em história das ciências e da saúde / Fundação Oswaldo Cruz
Rio de janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Downloads

Publicado

2021-02-18