AS SEMANAS RURALISTAS DO BRASIL: Igreja Católica e Desenvolvimento

Autores

  • RAMON FELIPHE SOUZA Fundação Oswaldo Cruz

DOI:

https://doi.org/10.18817/ot.v17i30.809

Resumo

Neste artigo, analisamos as semanas ruralistas como projeto de extensão rural desenvolvido no Brasil no século XX. Esses eventos ocorreram em diversos pontos do país e tinham como objetivo discutir aspectos relativos à condição de vida das populações rurais brasileiras. As primeiras semanas foram realizadas nos anos 1930 e foram promovidas por organizações privadas. Não obstante, entre 1940 e 1950, outras organizações passaram a promovê-las. Foi com a colaboração da Igreja, a partir dos anos 1950, que a realização desses eventos aumentou exponencialmente. Por meio de periódicos nacionais, relatórios do Serviço de Informação Agrícola (SIA) e revisão bibliográfica, verificamos como ocorreu o processo de consolidação das semanas no país, dando ênfase à cooperação da Igreja. As paróquias católicas foram utilizadas pelo Estado em seu projeto de modernizar e integrar as áreas rurais brasileiras, e se tornaram espaços de fomento de conhecimento técnico e científico em agricultura e saúde.

Palavras-chave: Igreja Católica. Semana Ruralista. Desenvolvimento.

 

Biografia do Autor

RAMON FELIPHE SOUZA, Fundação Oswaldo Cruz

Doutorando em História das Ciências e da Saúde/Fundação Oswaldo Cruz

Rio de Janeiro/Rio de Janeiro/Brasil

 

Publicado

2020-10-13