MARIA, MARIA: histórias de vida de mulheres no sertão do São Francisco (MG)

Autores

  • CLÁUDIA MAIA Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes
  • BÁRBARA FIGUEIREDO SOUTO Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

DOI:

https://doi.org/10.18817/ot.v17i29.763

Palavras-chave:

Gênero. Mulheres. Sertão.

Resumo

O artigo objetiva problematizar modelos hegemônicos de feminilidade a partir da história de vida de duas mulheres que experienciaram o sertão às margens do rio São Francisco (MG), habitando o município homônimo ao rio. Busca ainda entender como elas representam a si mesmas e a outras mulheres; como foram construídas as relações de gênero e os sentidos que constituem o feminino no sertão norte-mineiro na primeira metade do século XX. Partimos da compreensão de que as relações de gênero não são estáticas e permanentes e que as representações acerca do feminino são históricas, ou seja, não é possível generalizar um modelo de feminilidade para todos os estratos sociais e para todos os contextos geo-históricos.

Palavras-chave: Gênero. Mulheres. Sertão.


MARIA, MARIA: life histories of women in the backwoods of the São Francisco (MG)

Abstract: The article aims to problematize hegemonic models of femininity from the life history of two women who experienced the backwoods on the banks of the São Francisco river (MG), inhabiting the homonymous municipality to the river. Also, it seeks to understand how they represent themselves and other women; how the gender relations were built and the meanings that constitute the feminine in the north of Minas Gerais backwoods, in the first half of the twentieth century. We start from the understanding that gender relations are not static and permanent and that the representations about the feminine are historical, that is, it is not possible to generalize a model of femininity for all social strata and for all geohistorical contexts.

Keywords: Gender. Women. Backwoods.


MARIA, MARIA:historias de vida de mujeres en el interior de São Francisco (MG)

Resumen: El artículo tiene como objetivo problematizar los modelos hegemónicos de feminidad a partir de la historia de vida de dos mujeres que vivieron en el interior a las orillas del río São Francisco (MG), que habitan en el municipio homónimo del río. También busca comprender cómo ellas representan a sí mismas y a otras mujeres; cómo se construyeronlas relaciones de género y los significados que constituyen el femenino en el norte de Minas Gerais en la primera mitad del siglo XX. Partimos de la comprensión de que las relaciones de género no son estáticas y permanentes y que las representaciones sobre el femenino son históricas, es decir, no es posible generalizar un modelo de feminidad para todos los estratos sociales y para todos los contextos geo-históricos.

Palabras clave: Género. Mujeres. Interior.

Biografia do Autor

CLÁUDIA MAIA, Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

Doutora/Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes)
Bolsista BIPDT/FAPEMIG
Montes Claros/Minas Gerais/Brasil

BÁRBARA FIGUEIREDO SOUTO, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)- Doutoranda

Downloads

Publicado

2020-02-12

Edição

Seção

Dossiê - Feminilidades