APORTES CONCEITUAIS SOBRE O FENÔMENO DO FEMINICÍDIO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18817/ot.v17i29.753

Palavras-chave:

Feminicá­dio. Violência Sexista. Misoginia.

Resumo

O fenômeno da violência extrema contra mulheres mostra-se tão antigo quanto à própria humanidade, ou seja, as mulheres sempre foram tratadas como objeto, ao qual o homem podia usar, gozar e dispor. O que há de recente na História da América Latina (e do Brasil!) é a preocupação com a violência sexista e mais novo ainda é a sua judicialização, na tipificação dos crimes, como sendo feminicídios. O entendimento das causas desse fenômeno torna-se, assim, central nas questões de segurança pública, na problemática das redes de saúde e dos processos de escolarização. Nesse sentido, o presente artigo focaliza os principais marcos legais existentes, reflete sobre manifestações ocultas nas brutais cenas de violência entre homens e mulheres, e pontua importantes interfaces de variação no mapa da violência contra mulheres, em especial, no Brasil.

Palavras-chave: Feminicídio. Violência Sexista. Misoginia.


CONCEPTUAL CONTRIBUTIONS ABOUT THE PHENOMENON OF FEMICIDE

Abstract: The phenomenon of extreme violence against women is as old as humanity itself, that is, women have always been treated as objects which men could use, enjoy anddispose. What is recent in the history of Latin America (and Brazil!) is the concern with sexist violence and the even more recent is its judicialization, in the typification of crimes, as femicides. Understanding the causes of this phenomenon becomes this way central to public safety issues, the problem of health networks and schooling processes. In this sense, this article focuses on the main existing legal frameworks, reflects on hidden manifestations in the brutal scenes of violence between men and women, and points out important interfaces of variation on the map of violence against women, especially in Brazil.

Keywords: Femicide. Sexist Violence. Misogyny.


CONTRIBUCIONES CONCEPTUALES SOBRE EL FENÓMENO DEL FEMINICIDIO

Resumen: El fenómeno de la violencia extrema contra las mujeres es tan antiguo como la humanidad misma, es decir, las mujeres siempre han sido tratadas como objetos que los hombres pueden usar, disfrutar y disponer. Lo más reciente en la historia de América Latina (¡y Brasil!) es la preocupación por la violencia sexista y la novedad sigue siendo sujudicialización, en la tipificación de los delitos, como feminicidios. Comprender las causas de este fenómeno se convierte así en un elemento central de los problemas de seguridad pública, el problema de las redes de salud y los procesos escolares. En este sentido, este artículo se centra en los principales marcos legales existentes, reflexiona sobre manifestaciones ocultas en las escenas brutales de violencia entre hombres y mujeres, y señala importantes interfaces de variación en el mapa de violencia contra las mujeres, especialmente en Brasil.

Palabras clave: Femicidio. Violencia Sexista. Misoginia.

Biografia do Autor

SANDRA VIDAL NOGUEIRA, Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS

Professora e Pesquisadora na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), vinculada ao Programa de Mestrado em Desenvolvimento e Políticas Públicas, Campus de Cerro Largo, RS.

OSMAR VERONESE, Universidade Regional Integradado Alto Uruguai e Missões - URI


Doutor em Modernización de las Inst.y Nuevas Persp. Derechos Fundamentais pela Universidad de Valladolid-Espanha/Universidade Regional Integrada
do Alto Uruguai e Missões - URI
Santo á‚ngelo/Rio Grande do Sul/Brasil

Downloads

Publicado

2020-02-12

Edição

Seção

Dossiê - Feminilidades