MARQUáŠS DE SADE: Entre a realidade e a ficção

Autores

  • Carla Fernanda da Silva Mestre em História Blumenau , Santa Catarina- Brasil

DOI:

https://doi.org/10.18817/ot.v8i11.71

Palavras-chave:

Literatura Erótica, Disciplinamento, Marquês de Sade. Erotismo,

Resumo

Este  artigo  propõe  uma  discussão  sobre  a  literatura  erótica  e inicia  com  uma  reflexãogenealógica  da  ordenação  do  desejo na  mitologia  grega,  demonstrando  a  fuga  da espontaneidadepresente em Eros em detrimento de seu irmão Anteros (Ordem). Pensando a partir do confronto de Erose Anteros, fez-se um recorte da obra do Marquês de Sade e, então, uma reflexão crá­tica da concepção doerótico e da ordem presentes em suas obras, com destaque para ”˜Os 120 dias de Sodoma”™. Ao pesquisarsua obra, concebida durante os internamentos em sanatórios e prisões, percebem-se seus escritos comodisciplinadores do sexo, nos quais o autor não pensa o erótico como uma possibilidade do compartilhardos corpos e do desejo, mas sim como a destruição moral e, por vezes, fá­sica do Outro.

Downloads

Publicado

2011-05-16