ESPAÇOS DE LEITURA E VENDA DE LIVROS ESCOLARES NA CIDADE DA PARAÍBA (1850-1889)

Autores

  • CLÁUDIA ENGLER CURY Universidade Federal da Paraá­ba João Pessoa

DOI:

https://doi.org/10.18817/ot.v11i18.419

Palavras-chave:

Jornais. Espaços de leitura. Cultura material escolar.

Resumo

Resumo: O  artigo  tem  por  objetivo  apreender  as  práticas  culturais  adotadas  no  processo  de constituição da  vida  escolar, por meio da circulação  de  livros e compêndios escolares em espaços  de venda  e  de  leitura  na  cidade  da  Paraíba  dos  oitocentos.  Para  tanto,  utilizou-se  como  base  teórica  as concepções  da  historiografia  acerca da  cultura  material e,  posteriormente,  da  cultura  material escolar na  leitura  e interpretação  do corpus documental. Documentos  oficiais  e  11 jornais  que  circularam na província  no  período  foram  as  fontes  principais  para  o  estudo  que  vem  a  público.  Para  a  primeira metade do século XIX localizamos apenas um local destinado à leitura, trata-se da Biblioteca Pública do Liceu, e nenhum espaço de venda. Na segunda metade do século XIX, porém, foi possível perceber uma mudança no que diz respeito aos locais de venda de livros, compêndios e artefatos escolares e aos espaços de leitura na província. Identificaram-se ainda contatos interprovinciais e entre a Parahyba do Norte e o Município da Corte, por meio da recepção de livros vindos das editoras do Rio de Janeiro de outras províncias localizadas na região Norte à época.

Palavras-chave:Jornais. Espaços de leitura. Cultura material escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

CLÁUDIA ENGLER CURY, Universidade Federal da Paraá­ba João Pessoa

Doutora / Professora Associada I do Departamento de História e dos Programas de Pós-Graduação em História e Educação da Universidade Federal da Paraá­ba João Pessoa/ PB/ Brasil

Downloads

Publicado

2014-12-15

Edição

Seção

Dossiê: Parte 1 - Geografias do livro: espaços, circulação e leitura na América e Europa