ENTRE BARá•ES, FOGUETES E QUILOMBOLAS: Museu Casa Histórica de Alcá¢ntara e a institucionalização de discursos e representações sobre a cidade de Alcá¢ntara

Autores

  • Daniel Rincon Caires Especialista em História Instituto Brasileiro de Museus — IBRAM São Luá­s, MA- Brasil

DOI:

https://doi.org/10.18817/ot.v9i13.40

Palavras-chave:

Museus e história, História de Alcá¢ntara, Discursos e representações,

Resumo

Este trabalho tem como finalidade discutir o posicionamento dos museus em geral e do Museu CasaHistórica de Alcá¢ntara (MCHA) em particular, com relação á s representações e discursos que incidem sobre ahistória. Partindo-se da premissa de que ”toda instituição museal apresenta um determinado discurso sobre arealidade”, busca-se observar a orientação conceitual do MCHA desde sua fundação, em 1986, destacando suarelação com a cidade de Alcá¢ntara, que abriga a maior concentração de territórios quilombolas do Brasil, palcode disputas intensas entre diversos atores sociais em torno das terras e da força de trabalho, desde os temposcoloniais até a atualidade, marcada por sonhos espaciais.

Downloads

Publicado

2012-05-20