CORPORATIVISMO NA SEÇÃO TRABALHO DO BOLETIM DO MINISTÉRIO DO TRABALHO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO (1934-1939)

Autores

  • PEDRO PAULO LIMA BARBOSA Universidade Estadual Paulista (UNESP/Campus de Assis)

DOI:

https://doi.org/10.18817/ot.v11i18.306

Palavras-chave:

Era Vargas (1934-1939). Corporativismo. Capital e trabalho.

Resumo

Este artigo tem como propósito analisar o corporativismo no discurso oficial do Estado varguista presente na seção Trabalho do Boletim do Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio, entre os anos de 1934 a 1939. Ao mesmo tempo em que devemos compreender o corporativismo como algo novo na sociedade brasileira da década de 1930, precisamos vê-lo enquanto uma ação do Estado no sentido de dirimir os embates entre Capital e Trabalho. Destarte, consideramos um equá­voco apreciar o corporativismo enquanto um fascismo á  brasileira ou ainda uma simples ”˜cópia”™ das doutrinas de outras nações mais desenvolvidas no sentido de cooptar o operariado.

Palavras-chave: Era Vargas (1934-1939). Corporativismo.  Capital e trabalho.

 

THE CORPORATISM IN THE WORK SECTION OF MINISTERY OF LABOR, INDUSTRY AND COMMERCE BULLETIN (1934-1939)

Abstract: This article aims to analyze the corporatism in the official discourse of Varguism State presented in the Work section of Ministry of Labor, Industry and Commerce Bulletin between 1934 and1939. While we understand that corporatism was brand new in the 1930”™s Brazil, we must see it as an action from the State to resolve the conflicts between Capital and Labor. Thus, we consider a mistake to aproach corporatism as a "Brazilian fascist" or even a simple "copy" of other developed nations”™ doctrines in order to attract the working class.

Keywords: Vargas”™ Age (1934-1939). Corporatism. Capital and labor.

 

EL CORPORATIVISMO EN LA SECCIÓN TRABAJO DEL BOLETáN DEL MINISTERIO DEL TRABAJO, INDUSTRIA Y COMERCIO (1934-1939)

Resumen: Este artá­culo tiene como objetivo analizar el corporativismo en el discurso oficial de lo Estado Varguista presente en la sección trabajo del Ministerio del Trabajo, Industria y Comercio entre los años 1934 y 1939. Al tiempo en que debemos comprender el corporativismo como algo nuevo en la sociedad brasileña de la década de 1930, debemos también verlo   como una acción del Estado para resolver los conflictos entre capital y trabajo. Por lo tanto, consideramos un concepto erróneo apreciar el corporativismo brasileño como una copia del fascismo o incluso una simple copia de las doctrinas de otras naciones más desarrolladas con el fin de cooptar a la clase obrera.

Palabras clave: Era Vargas (1934-1939). Corporativismo. Capital y trabajo.

Biografia do Autor

PEDRO PAULO LIMA BARBOSA, Universidade Estadual Paulista (UNESP/Campus de Assis)

Doutorado em andamento pelo Programa de Pós Graduação em História da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Campus de Assis 2012), vinculado á  linha Polá­tica: ações e representações. Mestre em História Social pela Pontifá­cia Universidade Católica de São Paulo (2009), vinculado á  linha Cultura e Trabalho. Licenciatura Plena em História na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Campus de Assis-SP, 2001). Atualmente é Professor da Faculdade Santa Izildinha/UNIESP (Campus São Mateus). Tem experiência na área de História. Atuando principalmente nos seguintes temas: História do Brasil, História do Brasil Republicano, História das Ideias e do Pensamento Polá­tico.

Downloads

Publicado

2014-12-15