A FARINHA DE MANDIOCA E SUAS ”INCOVENIáŠNCIAS” NA OBRA DE JOáƒO DANIEL

Autores

  • ROBERTO BORGES DA CRUZ Prof. Ms. Secretaria de Educação do Estado do Pará Belém, Pará, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.18817/ot.v10i15.254

Palavras-chave:

Farinha, João Daniel, Mandioca

Resumo

A alimentação, embora, muitas vezes ignorada nas análises de determinados contextos históricos, é de suma importá¢ncia para uma melhor compreensão de certos processos. Muitas vezes foi a alimentação, fator decisivo para o sucesso ou fracasso de empreendimentos realizados por um governo. No perá­odo colonial, no estado do Grão- Pará e Maranhão, foi a farinha de mandioca, o principal alimento com que contavam os colonizadores, no entanto, o aumento da dependência dos colonos por este gênero, passou a ser alvo das crá­ticas do missionário jesuá­ta João Daniel, que mesmo reconhecendo o importante papel desempenhado pela farinha, afirmava ser essa cultura portadora de várias ”inconveniências” que obstaculizavam o progresso do ”Amazonas”, aconselhando a implantação de outras culturas, ao seu ver, mais apropriadas para a região como o milho, trigo e arroz.

Downloads

Publicado

2013-04-25