USOS E ABUSOS DO ENCONTRO FESTIVO: Identidades, Diferenças e Desigualdades no Maranhão dos Bumbas (c. 1900-50)

Autores

  • Antonio Evaldo Almeida Barros Doutorando em História / UNICAMP

DOI:

https://doi.org/10.18817/ot.v6i8.169

Palavras-chave:

Festas, Diferenças, Desigualdades, Identidades, Bumba-meu-boi,

Resumo

É freqüente e difundida a idéia de que a festa, particularmente a festa à brasileira, seria capaz de mediar, apaziguar ou mesmo eliminar múltiplas e variadas diferenças entre os sujeitos. No caso do Brasil, a lapidação dessa imagem da festa se efetivaria sobretudo no contexto da ideologização da mestiçagem brasileira particularmente a partir dos anos 1920-30. Neste período, diferentes intérpretesda nação e das regiões brasileiras buscavam identificar seus símbolos coletivamente partilhados, e a festa se tornaria a ocasião máxima para se observar essa partilha amistosa e harmônica. Entretanto, umconjunto significativo de pesquisadores têm se esforçado em seguir um outro caminho, evidenciando que a festa é uma ocasião privilegiada para se observar as tensões, conflitos, diferenças e desigualdades. Aqui, festas como o carnaval e os festejos juninos – cujos principais elementos no Maranhão, os bumbas-meu-boi, são inscritos como modeladores e mediadores de ser maranhense – poderiam ser interpretadas como um lugar particular para se notar o funcionamento das diferenças e desigualdades. Para além da mistura e do encontro, pode-se perceber que nessas festas, longe de se suspender conflitos e se revitalizar comunidades imaginadas nacionais e regionais, as hierarquias sociais são ritualizadas e teatralizadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-12-15