TRATADOS INTERNACIONAIS, PRáTICAS LOCAIS: o princá­pio da devolução de escravos entre as coroas portuguesa e espanhola em fins do perá­odo colonial.

Autores

  • Hevelly Ferreira Acruche Mestranda PPGH-UFF Rio de Janeiro/Brasil

DOI:

https://doi.org/10.18817/ot.v9i14.16

Palavras-chave:

Escravidão, Fronteira, Liberdade,

Resumo

O objetivo deste trabalho é mostrar como as fugas de escravos em fins do século XVIII suscitaram discussões entre as autoridades das Coroas ibéricas em torno da devolução de cativos na bacia platina. Sendo as respectivas metrópoles escravistas em suas colônias americanas, podemos ver que a assinatura de tratados entre as Coroas de Espanha e Portugal foi importante para consolidar práticas de devolução distintas, sobretudo após o Tratado de Santo Ildefonso e a devolução definitiva da Colônia do Sacramento aos espanhóis. Nesse caso, nosso intento é demonstrar que as fugas eram possá­veis numa fronteira porosa e indefinida e que, ao mesmo tempo, tentativas de devolução foram ensaiadas, nem sempre tendo sucesso.

Downloads

Publicado

2012-11-30