SAFO, CONTEÚDO ADULTO: homoerotismo feminino/voyeurismo masculino

Autores

  • Cristiane Demarchi Mestranda em Educação (UNICAMP)

DOI:

https://doi.org/10.18817/ot.v7i9.124

Palavras-chave:

Safo, Voyeurismo, Homoerotismo, Lesbianismo,

Resumo

Safo, cuja obra sobreviveu sob a forma de fragmentos, teve seu floruit no  iná­cio do século VI a.C.. Embora não houvesse, na Antiguidade Clássica, um  conceito que correspondesse ao de ”sexualidade”; conquanto existissem protocolos  discursivos para dizer a pederastia, não havia definição para o homoerotismo  feminino. Sendo assim, Safo é colhida numa trama de ”excessos”, tornada clara nos  epá­tetos que recebe na Antiguidade: máscula, trá­bade, cortesã. No século XIX, a  biografia de Safo é reintroduzida na cultura por intermédio da tradução de Ová­dio. É  a partir desse perá­odo que o artigo se volta, propondo a leitura das imagens pictóricas  de Safo sob o pano de fundo do erotismo, sugerindo que essa iconografia se associa a clichês e a uma concepção do  feminino produzida pelo (e para) o olhar masculino.  A conquista da memória de Safo em imagens intencionalmente  produzidas para o prazer masculino goza, ao mesmo tempo, de um campo de possibilidades discursivas doadas pela  tradição.

Downloads

Publicado

2010-05-31