IDENTIDADE, PRáTICA E REPRESENTAÇÃO: reflexões sobre a contribuição da Nova História Cultural ao estudo do movimento pentecostal

Autores

  • André Dioney Fonseca Mestrando — PPGH/UFGD. Bolsista CAPES Grupo de Pesquisa em História Religiosa e das Religiões (CNPq).

DOI:

https://doi.org/10.18817/ot.v7i9.116

Palavras-chave:

Nova História Cultural, Identidade, Prática, Representação, Movimento Pentecostal,

Resumo

Neste artigo buscamos refletir sobre a contribuição da chamadaNova História Cultural aos estudos do movimento pentecostal no Brasil. Paratanto, após uma rápida explanação sobre noções importantescomo identidade, prática e representação e o contexto em que surgiram nasCiências Humanas, apresentamos os debates sobre as normas de ”usos” e”costumes” na igreja Assembleia de Deus, com o intuito de demonstrar as táticas empreendidas por essaIgreja no último decênio do século XX, em resposta á s pressões que marcaram o campo religioso brasileiro. Apartir dessa análise, mostramos que a Assembleia de Deus (contrariando o que foi dito por muitospesquisadores) buscou se adequar ao campo religioso, mudando suas práticas e representações, com oobjetivo de reforçar sua identidade nos momentos em que ela foi colocada em xeque.

Downloads

Publicado

2010-07-13