A CADUCIDADE DAS DISPOSIÇÕES TRANSITÓRIAS: o polêmico debate a respeito da transferência da capital mineira (1890-1893).

Autores

  • Rodrigo Machado da Silva Mestrando Universidade Federal de Ouro Preto/Bolsista CAPES Ouro Preto, Minas Gerais, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.18817/ot.v9i14.11

Palavras-chave:

Transferência de capital, Diogo de Vasconcellos, Ouro Preto, Constituição Estadual, Belo Horizonte.

Resumo

Este artigo procura levantar algumas reflexões em relação ao processo de transferência da Capital de  Minas Gerais, no iná­cio do regime republicano brasileiro. Através de fontes diversificadas (artigos de jornais,cartas pessoais e oficiais e discursos parlamentares), o texto ora em tela confronta os argumentos contrários e  favoráveis á  retirada da sede administrativa do  Estado da cidade de Ouro Preto para a que viria a ser Belo  Horizonte. Destacamos, nestas páginas, o empenho do polá­tico, jornalista e historiador Diogo de Vasconcellos ”“contrário á  mudança ”“ em criar um discurso que fortificasse o caráter polá­tico e histórico de Ouro Preto a fim dedesqualificar a propaganda ”mudancista”, sobretudo na questão que se refere á  caducidade do artigo 13 das  Disposições Transitórias da Constituição Estadual de 1891, que garantia a transferência do centro  administrativo mineiro.

Downloads

Publicado

2012-11-26